Chacina no Jacaré | Mãe que morreu de graça com os dois filhos, era uma idosa de 86 anos

Polícia Civil continua as apurações para tentar chegar aos suspeitos de terem matado mãe e dois filhos que após serem assassinados tiveram os corpos carbonizados.


#nahora


Relevado os nomes e as idades dos mortos na chacina que aconteceu em uma comunidade do Lago do Jacaré, zona rural de Manacapuru. De acordo com as apurações da Polícia Civil, a mãe e os dois irmãos que foram mortos e tiveram os corpos queimados dentro da residência, era inocentes, e nada tinha haver com a rincha que motivou o crime.


A mãe, era uma idosa de 86 anos, identificada como Lucineia Rodrigues de Oliveira, ela era uma moradora antiga da comunidade rural e morreu de graça por conta de uma desavença que um dos filhos teve com o suposto autor de comandar a chacina.


Os dois filhos que também foram assassinados e tiveram os corpos queimados, também não tinha relação nenhuma com a desavença do irmão. Eles foram identificados como Ney Rodrigues Oliveira (27), vulgo Louro e Diones Rodrigues Oliveira (39), vulgo Dió.



De acordo com as investigações iniciais da Polícia Civil, as mortes foram motivadas por vingança, já que Oney Rodrigues Oliveira (34), vulgo Putaria, teria tentado matar Josué Silva dos Santos, vulgo China, no dia 23 de fevereiro, China teria prometido vingança, ele é o principal suspeito de ter praticado o tripo homicídio.


Publicidade



Durante a ação criminosa, Oney foi sequestrado e até agora não se sabe o paradeiro dele, segundo a Polícia Civil, tudo indica que ele foi levado para ser castigado até a morte. Uma equipe policial se dirigiu até a comunidade rural para aprofundar as investigações e fazer a remoção dos restos mortais das vítimas.


O suspeito

Josué da Silva dos Santos, o China, é um procurado da Justiça por envolvimento com o tráfico de drogas, e estava escondido na comunidade rural onde atuava com pirataria e tráfico, após ser esfaqueado por Oney, no dia 23 de fevereiro, ele deu entrada em busca de atendimento no Hospital de Manacapuru, porém, usou um documento falso, e fugiu da unidade hospitalar antes da alta médica, justamente para não ser descoberto pela polícia.



As suspeitas da Polícia Civil é que China retornou para comunidade rural, juntamente com comparsas em busca de vingança e matou a idosa, seus dois filhos e sequestrou seu algoz para ser castigado até a morte. O caso segue em apuração.



0 comentário