top of page

Vídeo | Polícia Civil prende envolvido na morte do vigilante Pelé assassinado no porto de Manacapuru

Homem apareceu na delegacia de Manacapuru como testemunha de acusação de um suposto envolvido que havia sido preso pela Polícia Militar, mas câmeras de vigilância flagraram ele na cena do crime.




A Delegacia de Polícia Civil de Manacapuru, sob a coordenação do Delegado Rodrigo Torres, realizou na manhã desta quinta-feira (05), a prisão de Ernesto Tavares Pereira (29), suspeito de envolvimento na morte do vigilante Edmilton Guedes Pereira (60), conhecido como Pelé, que foi brutalmente assassinado a pauladas no dia 25 de dezembro, na zona portuária de Manacapuru, onde trabalhava há mais de 20 anos como vigia. (Imagens fortes do crime)


Durante o processo de investigação, a Polícia Militar, chegou a apresentar um homem que supostamente teria cometido o crime, inclusive, testemunhas compareceram na Delegacia de Manacapuru, acusando o então preso, como sendo o autor do latrocínio de Pelé.



Porém, as investigações seguiram, e durante a análise das imagens das câmeras de vigilância da área portuária de Manacapuru, os investigadores notaram a presença de um homem, atuando como comparsa do verdadeiro autor do homicídio, as imagens ajudaram ainda a Polícia Civil descartar a autoria atribuída ao homem, então preso como principal suspeito.


Investigações


O que chamou a atenção dos policiais civis, é que uma das testemunhas de acusação do então suspeito, aparece nas imagens dando apoio ao real assassino do vigilante, inclusive logo após o crime, a dupla sai caminhando em direção a Av. Cristo Rei. (Veja)


Imagens mostram assassino e comparsa fugindo do local do crime


E após o aprofundamento das investigações, a Polícia Civil conseguiu identificar a pessoa que teria comprado os objetos roubados do vigilante, esse homem compareceu de forma espontânea na Delegacia de Manacapuru para devolver os pertences da vítima, e confirmou que comprou os objetos de Ernesto, até então, testemunha do crime.


Ernesto Tavares Pereira (29), suspeito de envolvimento na morte do vigilante Pelé


Com as provas robustas, o Delegado Rodrigo Torres, solicitou da Justiça a prisão temporária da falsa testemunha, que na verdade agiu como comparsa do real assassino do vigilante Pelé, a prisão foi cumprida na manhã desta quinta-feira (05). O homem que está na carceragem da Delegacia de Manacapuru, responderá pelos crimes de falso testemunho, denunciação caluniosa e latrocínio. Já o homem preso anteriormente como suspeito, teve a prisão revogada após esclarecimentos dos fatos.




Seguem as buscas pelo assassino

Ainda de acordo com o Delegado Rodrigo Torres, o trabalho de investigação segue para tentar identificar a pessoa que aparece nas imagens executando o vigilante, o trabalho da Polícia Civil segue em sigilo para não atrapalhar o processo de investigação.


Delegado Rodrigo Torres - Delegado de Manacapuru



Relacionadas




0 comentário

Comments


bottom of page