SSP-AM deflagra operação "Aliquam" contra esquema de golpes financeiros praticados pela Internet

A operação é fruto das investigações da Delegacia Especializada em Crimes Cibernéticos em conjunto com a Delegacia Especializada em Roubos e Furtos e Defraudações.


#nahora


Uma quadrilha de estelionatários que aplicava golpes pela internet é alvo da operação "Aliquam", deflagrada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), nesta terça-feira (06/07), em Manacapuru e Manaus. Ao todo, estão sendo cumpridos 18 mandados judiciais de prisão, busca e apreensão a partir de investigações da Delegacia Especializada em Crimes Cibernéticos (DERCC) e Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), da Polícia Civil do Amazonas.



De forma integrada, equipes da Polícia Civil e Polícia Militar estão nas ruas desde as primeiras horas da manhã de hoje na busca dos alvos, a maioria em Manacapuru, na Região Metropolitana de Manaus. São seis mandados de prisão e 12 de busca e apreensão. Em Manaus, o alvo fica no bairro Gilberto Mestrinho, na zona norte da capital amazonense.



O secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, e a Delegada-Geral da Polícia Civil, Emília Ferraz, e o subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel Ronaldo Negreiros, estão em Manacapuru acompanhando os trabalhos das equipes policiais em campo.



De acordo com investigações da DERCC, os alvos integravam uma quadrilha que aplicava golpes pela Internet a partir de contas de laranjas. Pessoas de baixa renda eram aliciadas para o esquema e abriam contas para onde os recursos eram transferidos com a promessa de receber comissões. O nome "Aliquam" significa laranja em latim e batiza a operação.



"Eles atuavam com o famoso estelionato bancário virtual, onde a organização criminosa arregimentavam determinadas pessoas em Manacapuru, e essas pessoas baixavam o aplicativo bancário no celular, mentiam sobre os endereços e profissões, inclusive alguns se diziam professores da rede municipal e não era, isso para aumentar os valores dos contracheques e com isso haviam um upgrade na conta onde eram feitos os empréstimos de até 11 mil reais, após feito isso, eles recebiam os empréstimos e era rachado com a organização criminosa e a pessoa ficava com uma parte". Destacou Heron Ferreira, titular da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos.


Durante as investigações, foi identificado a participação de um servidor dos Correios de Manacapuru, que fazia parte do esquema criminoso.


"Esse trabalho de investigação da Delegacia de Roubos Furtos e Defraudações e da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos, a gente chegou ao núcleo dessa organização que inclusive tem a participação de um funcionário dos correios, ou seja, um funcionário público federal envolvido nesses crimes, foi feito um trabalho minucioso, foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão e culminou na prisão de cinco indivíduos sendo que um está foragido até o momento". Destacou Dennis Alvez - Titular da Delegacia de Roubos Furtos e Defraudações (DRFD)



0 comentário