Sem máscara, vereador é impedido de entrar em escola e causa confusão que foi parar na delegacia

Gerson D'Angelo, vereador e primo do prefeito de Manacapuru, adentrou na unidade escolar, onde tem o espaço cedido para as sessões da Câmara Municipal, e ao ser questionado por não usar máscara, se revoltou.


#nahora


No último dia 04 de fevereiro, a Câmara Municipal de Manacapuru, aprovou uma lei, que torna obrigatório o uso da máscara para todos os moradores da cidade, inclusive sob as penalidades de multa, em caso de descumprimento.


Mas, um contraditório gritante aos olhos ocorreu na manhã desta terça-feira (25), na Escola Municipal Zoraida Ribeiro Alexandre, localizada na Rua Valdemar Ventura, São José. O espaço que está cedido para as sessões da Câmara Municipal, uma vez que o prédio do legislativo está sofrendo com os impactos da enchente, na ocasião por volta das 8h da manhã, o vereador Gerson D'angelo, chegou ao local para participar da sessão da câmara, quando foi questionado, pelo vigia da unidade escolar, por não está usando máscara, o vereador então, teria se exaltando desferindo palavras de baixo calão e xingamentos contra o vigia.



No momento que o gestor da escola, o professor Jackson Azevedo, viu a confusão e também foi questionar o vereador, o qual também teria recebido palavras chulas proferida pelo legislador, que adentrou para a sala onde está funcionando o plenário da câmara municipal. Em seguida, Jackson teria pedido para uma funcionária registrar a presença do vereador dentro do recinto sem usar máscara, foi quando outra confusão se formou no local.


A Policia Militar foi chamada para tentar acalmar os ânimos exaltados, em seguida, Jackson procurou a Delegacia de Manacapuru para registrar o Boletim de Ocorrência.



De acordo com informações repassadas pelo próprio gestor, ainda na terça-feira (25), o mesmo foi comunicado sobre o pedido dos vereadores para sua exoneração do cargo que exerce na escola.


"Eu já fui comunicado de forma extra-oficial que seria desligado do cargo e fui convocado para comparecer na Semed para assinar a minha exoneração, eu estou muito revoltado com todo o ocorrido, com a postura desse vereador, que irresponsavelmente não quis usar máscara no recinto e ainda mandou eu e minha equipe ir para aquele lugar, o que é um absurdo, vindo de um homem público, representante do povo e do poder legislativo". Disse Jackson

Em sua defesa, o vereador Gerson D'angelo publicou uma nota nas redes sociais que diz que o gestor o desacatou e o desrespeitou sendo ele uma autoridade pública. Leia




Em resposta a publicação do vereador Gerson D'angelo, o gestor Jackson Azevedo, publicou uma nota repudiando a nota a qual chamou de vergonhosa e que a mesma faltou com a verdade. Jackson aproveitou para agradecer o apoio dos pais de alunos e de toda a sociedade manacapuruense. (Leia)




Nossa equipe conversou com o professor Raimundo Conde, secretário municipal de educação, que nos informou que tomou conhecimento dos fatos e que irá apurar internamente. Sobre a informação da exoneração, Conde informou que somente após a apuração dos fatos é que a secretaria irá tomar as providências.


Procuramos a Câmara Municipal para questionar o fato do vereador não utilizar a máscara contrariando a própria lei aprovadas por eles, porém, até o fechamento da reportagem não fomos atendidos.


A notícia da possível exoneração do gestor, causou comoção e revolta dos pais de alunos da escola, que resolveram criar um abaixo-assinado repudiando a decisão, e se a exoneração for efetivada, os pais e alunos não descartam fazer uma manifestação em frente da escola.













0 comentário