Professores são demitidos após cobrar salários da Prefeitura de Manacapuru

Desde abril, cerca de 700 professores oriundos de Processo Seletivo, estão com os salários reduzidos pelas metade e os que reclamaram foram demitidos.


#nahora


Desde abril nossa equipe vem acompanhando a saga dos professores de Manacapuru, oriundos de Processo Seletivo Simplificado (PSS), que lutam pelo pagamento de seus salários que estão a três meses sendo pago pela metade. Ao procurar o Ministério Público para denunciar essa situação alguns professores que foram expostos cobrando um posicionamento da Prefeitura de Manacapuru, alegam que terem sido demitidos.



"Nós estamos nessa situação desde abril e até agora não tivemos nenhuma resposta por parte da Semed, a resposta que tivemos foi da Prefeitura entrando na justiça para não ter que responder nossos anseios, e pior, todas as pessoas que colocaram a cara a tapa cobrando os direitos foram demitidos, os colegas receberam o memorando de desligamento, e eu sequer isso, apenas deixaram de me pagar". Disse Jaime Bastos, professor.

A professora Aubaniza Santos disse ter recebido um documento de desligamento, sem sequer ter assinado o contrato o contrato de salário.


"Eles me procuraram com um documento para assinar como se fosse eu que estivesse pedindo desligamento, eu não assinei, tirei foto e questionei como é que iriamos assinar um documento de quebra de contrato se nem o contrato de admissão nenhum de nós professores assinamos, agora após toda essa repercussão, eles resolveram mandar para todos os professores assinar o contrato com data retroativa de março deste ano, isso tá muito errado". Ressaltou a professora.

Segundo os professores, além deles, todos os profissionais do setor administrativo da Educação estão com recebendo apenas metade dos salários, um dos demitidos foi o professor Reginaldo Sena, que lamenta o descaso a qual todos estão passando.


"É muito lamentável, nós professores estamos recebendo apenas 600 reais, e tem colega recebendo apenas 400 reais, isso é muito triste para nossa classe, eu estou doente, sou do grupo de risco e é difícil ser demitido só porque estamos cobrando nossos direitos, e o gestor da escola me entregou o papel de desligamento do quadro de 2020, e quando perguntei o motivo da demissão, ele disse que só fizeram entregar para ele com a ordem para mim assim e não perguntasse mais nada". Destacou Reginaldo.

Nossa equipe procurou a Secretária Municipal de Educação de Manacapuru, que em por meio de nota se pronunciou (leia na íntegra no fim da reportagem). Essa situação foi levada ao Ministério Público, através da Promotoria de Manacapuru e agora os professores aguardam um posicionamento da Justiça para tenham seus direitos respeitados.


LEIA NOTA DA SEMED





0 comentário