Polícia Civil investiga a morte de uma mulher que aconteceu no Bairro de Terra Preta em Manacapuru

O registro inicial apontava para suicídio, mas no curso da investigação surgiram indícios de que a mulher possa ter sido assassinada.


#nahora

Por Érisson Araújo


A Delegacia Especializada de Manacapuru está investigando a morte da garçonete Franciene Ricardo de Sousa (32), conhecida como Kenna, ela que foi encontrada morta dentro da própria casa, localizada na Rua Elói Marques, Bairro de Terra Preta, na manhã do último domingo (09), o corpo de Franciene foi encontrado pelo filho de 11 anos de idade.

A cena a qual a mulher foi encontrada, indicava que ela teria se enforcado em uma rede, mas durante o processo de investigação, a Polícia Civil encontrou indícios de que a mulher possa ter sido assassinada e em seguida teve o corpo ajeitado para simular um enforcamento. O menino foi ouvido na manhã desta segunda-feira (11), pela Delegada Roberta Merly, titular da DEP de Manacapuru.


“Essa é uma linha de investigação que nós estamos levando em consideração, já que o menino conta que na noite anterior ele e a mãe foram agredidos pelo padrasto, e inclusive ele apresenta hematomas dessa agressão, ele relata ainda que na manhã seguinte as agressões, a mãe pediu para ele ir buscar madeira para fazer um fogo, e ficou em casa com o homem, e ele quando voltou pra casa, encontrou só a mãe morta supostamente enforcada na rede”. Relatou Merly

Ainda de acordo com a Delegada Roberta Merly, a policia agora aguarda o laudo pericial para saber o que causou a morte da mulher.


“A princípio nós instauramos um inquérito de maus-tratos, já que a criança foi agredida por este suspeito, mas nós não descartamos a hipótese de que ele tenha também cometido esse homicídio, já que quando o menino saiu ele estava em casa e quando retornou ele só encontrou o corpo da mãe e desde o ocorrido ele está desaparecido, mas nós vamos aguardar o laudo, enquanto isso seguiremos com as investigações sobre esse caso”. Finalizou.

O corpo de Francinete foi velado na própria casa onde morava com o marido e os filhos, o enterro aconteceu por volta das 16h desta segunda-feira (10). Nossa equipe conversou com familiares da mulher que alegam não terem dúvidas de que ela foi morta pelo companheiro


“Nós queremos que a justiça seja feita, ela era uma mulher batalhadora, e jamais iria se matar, ela não tinha motivos para isso, então nós queremos que isso seja esclarecido e ele pague pelo que ele fez, porque se ele não tivesse culpa ele não teria sumido, não apareceu sequer para o velório, só isso já é muito estranho”. Lamentou uma parente da vítima.

O caso segue sendo apurado pela os investigadores da Delegacia Especializada de Manacapuru.

0 comentário