Polícia Civil do Amazonas faz alerta sobre golpe da falsidade ideológica em instituições bancárias

Crime ocorre no momento em que um ou mais indivíduos se deslocam até o banco, portando um documento de identificação falsa


#nahora

O saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou a realização de empréstimo consignado, são objetos de golpes de infratores que usam identidade falsa, para obter tais vantagens. Por isso, a Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), alerta a população para que estejam atentos a tais práticas.


O delegado Adriano Félix, titular da unidade especializada, explica que o crime ocorre no momento em que um ou mais indivíduos se deslocam até o banco, portando um documento de identificação falsa, realizam empréstimo consignado em nome de terceiros ou fazem o saque do FGTS de pessoas que trabalharam em empresas por um longo período.

“É uma organização criminosa formada por vários indivíduos e cada um tem uma função. Um é responsável pela falsificação do documento, que será usado para a realização dos procedimentos; tem o autor do crime, que será a pessoa responsável por praticar a ação; e tem o responsável por obter as informações das vítimas, seja dados ou valores a receber”, detalhou Félix.

Orientações

De acordo com o titular, a cautela inicial para evitar esses golpes acontece por parte das instituições bancárias. É de responsabilidade dos mesmos fazer triagens eficientes para identificação do cliente. Assim, dificulta a utilização de documentos falsos e qualifica como golpe, ainda no atendimento inicial.

“A DERFD trabalha na identificação dos indivíduos, a fim de evitar que outras pessoas sejam vítimas e trazer a segurança em procedimentos envolvendo bancos, ainda mais em tempos em que tudo é feito digitalmente”, salientou a autoridade policial.

O delegado esclarece que a devolução do dinheiro furtado é um processo detalhado. No entanto, a PC-AM age com medidas cautelares, com intuito de bloquear as contas bancárias usadas no crime.

Casos

Félix relembra prisões efetuadas pela delegacia especializada neste ano, envolvendo casos como esses.

“Em 26 de abril, prendemos dois jovens por tentativa de estelionato em uma agência bancária no bairro Nossa Senhora das Graças, zona sul. Eles conseguiam sacar o benefício do FGTS de terceiros. Quando as vítimas iam sacar o dinheiro, constataram que já havia sido retirado anteriormente”, explicou o delegado.

Para cometer o estelionato, os autores estavam portando identidades de pessoas que possuíam contas bancárias no Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Adriano cita outro caso, no qual prendeu, no dia 1º de junho deste ano, um homem de 56 anos, por golpe em uma agência localizada na avenida Djalma Batista, zona centro-sul.

“Ele utilizava identidade falsa, para abrir contas bancárias e solicitar empréstimos consignados. Ele foi preso no momento em que solicitava um empréstimo no valor de R$ 90 mil”, informou o titular.

Registro de Ocorrência

Adriano reforça, ainda, que a vítima afetada por esse golpe pode comparecer à DERFD, trazendo o máximo de provas, como horário de saque, agência onde recebe o dinheiro, para que as equipes policiais tenham êxito em punir criminalmente os responsáveis.

“A partir do momento em que é feito um Boletim de Ocorrência (BO), iniciamos os trabalhos investigativos em torno do caso, para tirar de circulação autores de ações criminosas como essas”, afirma Félix.

As denúncias podem ser realizadas pelo número 181, o disque-denúncia da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), ou pela Delegacia Virtual (Devir), pelo endereço eletrônico https://delegaciavirtual.sinesp.gov.br/portal/.

As denúncias podem, ainda, ser formalizadas na DERFD, localizada na rua 5, esquina com avenida J, bairro Alvorada, zona centro-oeste.

0 comentário