PF deflagra quarta fase da Operação Sangria e cumpre 25 mandados de prisão, busca e apreensão

Governador do Amazonas, que teve a casa, como um dos alvos da operação, diz ter "total interesse que os fatos sejam esclarecidos". Afirma em nota.


#nahora


Desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (02), a Polícia Federal está nas ruas deflagrando a Operação Sangria, que nesta quarta fase, busca cumprir 25 mandados autorizados pela Justiça, que visam, a prisão e apreensão de documentos e sequestros de bens na ordem de 22 milhões de reais.


Os alvos da operação, são pessoas ligadas ao alto escalão do Governo do Estado, incluindo o atual Secretário de Saúde, Marcelo Campelo, que teve manado de prisão cumprido nesta manhã, e Wilson Lima, que teve a casa como alvo de busca e apreensão.


Além disso, quatro empresários locais, foram presos em cumprimento de mandados da Operação Sangria. Esta fase, tem como foco, um contrato do Governo do Amazonas, para locação do Hospital Nilton Lins, que serviu como Hospital de Campanha, em uma das ações do enfrentamento a Covid-19.


Os mandados de busca e apreensão desta quarta-feira, 19 ao todo, e os de prisão, que somam 6, foram autorizados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Há mandados sendo cumpridos pelos agentes da PF em Manaus e em Porto Alegre (RS).


Foram detidos na operação os empresários, Nilton Costa Lins Júnior, Sérgio José Silva Chalub, Rafael Garcia da Silveira, Frank Andrey Gomes de Abreu, Carlos Henrique Alecrim John, além do secretário de saúde Marcellus José Barroso Campelo.


Em nota, o Governo do Amazonas disse apoiar as investigações.

Governo do Amazonas

O Governo do Amazonas informa que é de total interesse do Estado que os fatos relacionados às investigações em curso na área da saúde sejam esclarecidos. O governador Wilson Lima reitera que, desde o início da pandemia de Covid-19, sua gestão está voltada a preservar a saúde do povo do Amazonas e a salvar vidas, tendo determinado aos gestores estaduais que empreguem todos os esforços possíveis com esse objetivo, sempre pautando as ações públicas pelos princípios da legalidade e da transparência.

Desta forma, todos os investimentos feitos pelo Estado no enfrentamento da pandemia têm obedecido os trâmites legais de contratação de bens e serviços, sendo acompanhados de perto inclusive pelos órgãos de controle e também com prestação de contas sobre os gastos rigorosamente detalhados no Portal da Transparência.

O governador Wilson Lima reafirma que se mantém à disposição das autoridades competentes para esclarecimentos sobre as ações de seu governo e reitera que está convicto de que não cometeu qualquer ilegalidade e que confia na Justiça.


0 comentário