top of page

Parintins 2023: Caprichoso conquista o bicampeonato no 56º Festival Folclórico de Parintins

Por dois décimos, Caprichoso vence Garantido e levanta o troféu de campeão de 2023



O boi-bumbá Caprichoso é campeão do 56° Festival Folclórico de Parintins. Como tema, “Brado do Povo Guerreiro”, o bumbá somou 1.259 contra 1.258,8 do boi Garantido. A conquista confirma o bicampeonato do boi negro na história do festival. A apuração ocorreu na tarde desta segunda-feira (03/07), no Centro Cultural de Parintins - Bumbódromo (distante 369 quilômetros de Manaus). 



Emocionado, o presidente do Caprichoso, Jender Lobato, agradeceu a diretoria, ao conselho de artes e aos artistas da agremiação, mas principalmente, a nação azul e branca que abraçou o festival. “Eu quero dizer que precisamos comemorar este título, venceu o boi que se organizou, venceu o boi que respeitou os seus artistas, venceu o boi que fez e preparou o maior espetáculo que este festival já viu”, disse. “O Caprichoso preparou três grandes noites para que a gente pudesse apaixonar cada vez mais as pessoas e para que a gente pudesse trazer dignidade para esse povo caprichoso que já sofreu muito e hoje pode gritar que nós somos bicampeões do festival 2023”, comemora Jander. 


O Caprichoso venceu as três noites do festival. Na primeira noite (30/06), Caprichoso pontuou 419,8 contra 419,5 do Garantido. Na segunda noite (01/07), Caprichoso alcançou 419,5 pontos e o Garantido, 419,8. Na terceira e última noite (02/07), o Caprichoso venceu com 419,7 contra 419,5 pontos e, assim, consagrou-se bicampeão do 56º Festival Folclórico de Parintins. 


O marujeiro parintinense, Wesley Andrade, 21, não perdeu a oportunidade para aguçar a rivalidade entre os bois, que alimenta o festival. “Essa vitória é esplendorosa, a gente estava precisando disso. Como a gente sempre fala, tudo nosso e nada deles. É isso, Caprichoso até morrer”, vibra Wesley. 


Quem também extravasou o grito da vitória foi Lia Castro, 39, que se considera “torcedora fanática pelo Caprichoso”. “Essa vitória foi tudo, o amor por esse boi, essa cor maravilhosa, estamos muito felizes, nós arrasamos, foi inédito e eu estou muito emocionada”, comemora Lia.  


Festival 

O 56º Festival Folclórico de Parintins é promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) e Coca Cola Brasil. Nas três noites, 30 de junho, 1º e 2 de julho, o Bumbódromo recebeu o público que prestigiou os espetáculos protagonizados pelos bois-bumbás Caprichoso e Garantido.  

O secretário de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, Marcos Apolo Muniz, parabenizou os bumbás, destacando o envolvimento das galeras. “Em nome do Governador Wilson Lima a gente parabeniza ambas as galeras que, inclusive empataram, mostrando que estavam extremamente animadas, parabenizando o boi bumbá Caprichoso pela conquista e o boi bumbá Garantido, também, por trazido o boi na arena e ter feito um belíssimo espetáculo”, disse.

Para o próximo ano, o secretário antecipou a data do festival folclórico que encanta e atrai visitantes de várias partes do mundo e movimenta a cadeia produtiva de Parintins. “A gente já convida você para o 57º Festival Folclórico do Amazonas, que acontecerá nos dias 28, 29 e 30 de junho de 2024”, finaliza Apolo, adiantando que o público pode esperar sempre o melhor a cada edição do festival. 


Premiações

Novidades foram apresentadas pelo Governo do Estado nesta edição de 2023 do festival. Os troféus são confeccionados em fibra de vidro e aumentou a quantidade concedida para cada agremiação. Anteriormente, eram quatro troféus, dois para cada agremiação folclórica. Este ano, são 24 troféus, sendo 12 para cada bumbá. Desta maneira, todos os itens individuais vão receber um troféu de participação.


Quanto ao material utilizado, a fibra de vidro é inserida em substituição à madeira, e atende ao conceito de sustentabilidade, um dos pilares defendidos pelo Governo do Estado no festival folclórico. As obras foram assinadas pelo artista Lucijones Cursino Monteiro, o “Mascote”, que alega ser um material sustentável, mais leve e altamente resistente.

0 comentário

Comments


bottom of page