Nem a base dos 30 contos, a manifestação organziada por Wilker e Dermilson consegue sucesso

As imagens falam por si só, apenas cerca de 20 pessoas aderiram ao projeto dos deputados de instaurar o "Caos no Amazonas".


“Vamos estremecer as estruturas desse governo”.. “Nós queremos é ver o caos”.

Frases de ódio proferidas pelos Deputados Estaduais Wilker Barreto e Dermilson Chagas, visando mobilizar a massa em prol de um projeto dos dois de instaurar o Caos no Amazonas, mas uma vez não deu certo. Nem o dinheiro oferecido, e o lanchinho estilo “pão com mortadela” não foi suficiente para levar público para a manifestação.



Isso, diga-se de passagem, pela segunda vez, no intervalo de uma semana, um grupo de cabos eleitorais e assessores dos deputados estaduais Wilker Barreto e Dermilson Chagas, totalizando 20 dessa vez, se reuniram para manifestar contra o Governo. Na rotatória do Hospital Francisca Mendes, as caras que se viam eram dos mesmos cabos eleitorais que estavam empregados no governo Amazonino Mendes, o ex-governante que deixou um rombo de R$ 3 bilhões somente na Saúde, com pagamentos de trabalhadores terceirizados, empresas médicas e fornecedores atrasados até seis meses.


Histórico Recente


Na semana passada foram 12 cabos eleitorais e assessores de Wilker e Dermilson mais o ex-secretário de Produção Rural de Amazonino Mendes, José Aparecido, estiveram na Avenida Djalma Batista. José Aparecido, mais conhecido como o ‘‘papa licitação’’, quando secretário montou processo licitatório onde empresa em que é sócio fornecia polpa de frutas para o Programa de Merenda Escolar do Estado. Toda trama está revelada em um dossiê.


Procura-se o assessor


Outro que sumiu desta vez foi Thiago Botelho, que já foi assessor do ex-deputado David Almeida, e que hoje bate ponto na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Esse surgiu para criticar a Saúde no último mês, encabeçando na semana passada mobilização para o protesto fracassado na Avenida Djalma Batista. Até o ano passado ele nunca havia se manifestado em público. Muito menos foi capaz de dizer algo sobre o escândalo de corrupção que envolveu o ex-patrão, David Almeida, em caso amplamente divulgado durante a eleição passada para o Governo do Estado.



A quem esse grupo representa?


Representa a população, que precisa de atendimento nos hospitais ou estão a serviço de um projeto de poder pessoal? O que essas pessoas estão fazendo para contribuir com a melhoria do Estado? Enquanto o atual Governo paga contas de 2018 a empresas médicas, trabalhadores terceirizados, paga faturas atrasadas de fornecedores o que a dupla de deputados, liderada por Amazonino, faz? Wilker e Dermilson entram em hospitais com fotógrafos e cinegrafistas para filmar pessoas acamadas. Usam a imagem delas para denegrir o Governo a qualquer custo, uma administração que reconstrói uma rede pública de Saúde sucateada há décadas, onde a terceirização virou regra.


Farsa revelado com vazamento de conversas


Ao longo dessa semana, assessores de Wilker Barreto tentavam arregimentar pessoas para fazer volume na manifestação desta noite, na rotatória em frente ao Hospital Francisca Mendes. Nas conversas e audios de whatsapp vazados ofereciam R$ 30 à pessoa que fingisse ser manifestante nessa noite. E diziam, como noticiaram sites e blogs da cidade, que era melhor ‘’pegar pessoas do Mutirão, o bairro, porque era perto de onde seria a manifestação.


MBL perde credibilidade


Diante da farsa revelada, que atesta os interesses particulares dos envolvidos, mais uma vez a mobilização foi mínima. Até mesmo o MBL, movimento que se diz contra a corrupção, que defende a moral e os bons costumes, embarcou na armação, conforme revelam as conversas de whatsapp vazadas e vídeos do representante do MBL no Amazonas, Jhony Souza, no Facebook, onde convocava para a manifestação. E quem vai responsabilizar o deputado, que usa assessores pagos com dinheiro público, lotados em seu gabinete, para forjar manifestações?


Deputado FakeNews


O deputado Dermilson Chagas também criou um grupo de whatsapp para recrutar cabos eleitorais e assessores para o protesto. No grupo de whatsapp, cabos eleitorais reclamavam que a adesão era mínima, que havia dado a hora do início da manifestação, sete horas da noite, e ainda não tinha ninguém. E um deles diz: ‘’Gente, eu tô aqui na Bola… não tô vendo ninguém da manifestação… chegue aqui debaixo de chuva… tô dentro do Francisca Mendes (hospital), por favor me avisem por aqui (grupo de whatsapp) quando alguém chegar…’'


Até quando a dupla de deputados de oposição vai continuar a serviço do ex-governador Amazonino Mendes? Dermilson foi líder do Amazonino na Assembleia Legislativa, Wilker Barreto sonha com o chefe disputando a eleição em 2020, mesmo Amazonino cansado e doente.



0 comentário