top of page

Mulher de 22 anos é presa em flagrante por torturar o próprio filho de apenas três anos

Polícia Civil destaca a importância de denúncias para prevenir violência contra crianças e adolescentes.



Na noite da última quinta-feira (16) a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), autuou em flagrante uma jovem de 22 anos pelo crime de tortura praticada contra o próprio filho, uma criança de três anos.

A ocorrência foi recebida no plantão noturno por uma equipe da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), que apresentou a autora. Os policiais foram acionados após receberem um vídeo em que mostrava a mulher torturando o filho. Ao chegarem à residência da jovem, localizada no bairro São José Operário, na zona leste, a criança foi encontrada com sinais de espancamento.


A autora foi detida e encaminhada à Depca, onde a autoridade policial plantonista analisou os fatos e determinou a prisão em flagrante. Conforme a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, foi constatado na delegacia que a mulher fez o vídeo durante uma videochamada com o pai do menino, com o intuito de provocá-lo. Durante o depoimento, a jovem se manteve calada e disse que só iria se posicionar perante juízo.


A Depca está realizando uma petição de medida protetiva para que a autora fique afastada da criança, tendo em vista que ela já havia agredido o filho outras vezes. Além disso, a fase investigativa será finalizada para que o Poder Judiciário decida quanto à guarda do menino. A titular da Depca ressaltou que, se a prisão da mulher não for decretada como preventiva, o juiz irá decretar as medidas protetivas, uma vez que ela demonstrou um desequilíbrio com as agressões.


Procedimentos

A jovem responderá pelo crime de tortura e passará por audiência de custódia, permanecendo à disposição do Poder Judiciário.


A Polícia Civil do Amazonas reforça a importância de denunciar casos de violência contra crianças e adolescentes, para que medidas protetivas possam ser tomadas a fim de evitar novos casos de violência.

0 comentário

Comentários


bottom of page