top of page

Missão do BID acompanha avanços sociais e ambientais do Prosamin+ nas comunidades da Sharp e Manaus

Consultoras do Banco Interamericano de Desenvolvimento acompanharam o avanço dos reassentamentos e das ações ambientais do programa

 


As obras do Programa Social e Ambiental de Manaus e Interior (Prosamin+) receberam, na quinta-feira (1º/06), a visita de duas consultoras do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Aline Agra da Silva, consultora ambiental, e Julia Miguez, da área social, estiveram na Comunidade da Sharp, zona leste, e na Manaus 2000, zona sul, para ver de perto o avanço dos trabalhos nas áreas sociais e ambientais.

A visita foi acompanhada pela equipe da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), órgão da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Sedurb), responsável pelo Prosamin+. As consultoras conheceram o processo de reassentamento das famílias, conversaram com líderes do Grupo de Apoio Local (GAL), acompanharam ações ambientais em andamento e observaram a rotina de trabalhadores nas obras.

 

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Marcellus Campêlo, as missões de acompanhamento do BID acontecem ao longo da execução do programa. “Essa é uma etapa de prestação de contas que ocorre a cada seis meses. Desde o começo do programa, temos o compromisso com ações que englobam a preocupação ambiental, destinação de resíduos, manejo da fauna e flora silvestre, trabalhamos ações em segurança no trabalho, políticas de gênero, uma gama de indicadores que apresentamos a eles em escritório e que depois é verificada em campo”, afirmou.

 

Neste momento, a obra da Comunidade da Sharp está em fase de instalação de tapumes, remoção de resíduos de madeira do entorno do canteiro de obra, remoção de resíduos das demolições das casas e manutenção de canteiros. Na Manaus 2000, as equipes trabalham na terraplanagem, demolição e auxílio na mudança das famílias que estão saindo do local. 

 

O Prosamin+ está urbanizando uma área de 340 mil metros quadrados (m²) ao longo do Igarapé do Quarenta, em um trecho entre a avenida Manaus 2000 e a Comunidade da Sharp. Das áreas, sob risco de alagação, já foram retiradas 594 famílias, de um total de 2.383 que serão reassentadas ao longo da execução do programa.

 

O programa entregou, no mês de abril deste ano, o Parque Residencial General Rodrigo Otávio, localizado no bairro Japiim, zona sul de Manaus.  O habitacional, com um total de 32 apartamentos, também foi visitado pelas consultoras, que conheceram a primeira obra construída pelo novo formato do programa. Com investimentos de R$ 11,7 milhões de recursos estaduais, o Parque começou a ser construído em junho do ano passado e já está totalmente ocupado.

 

Um outro residencial de 72 unidades habitacionais com a mesma destinação começou ser construído em 2023, no bairro Cachoeirinha, zona sul.  Somadas as quatro frentes de obras, serão entregues, em quatro anos, 752 unidades habitacionais.

 

Política de gênero

 

Na sexta-feira (02/06), a Missão cumpriu o último compromisso em Manaus. As consultoras do BID, junto a representantes da UGPE, Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e construtoras, realizaram uma roda de conversa com mulheres, idosos e representantes LGBTQUIA+, onde foram discutidas sugestões e analisado o estágio atual das políticas de gênero dentro do programa.

 

Reflorestamento

 

Na comunidade da Sharp, as consultoras viram de perto o viveiro de mudas para a recomposição florestal do que foi desmatado ao longo de décadas na área de abrangência do Prosamin+. São quatro mil mudas em crescimento que serão plantadas em terreno comprometido por erosão, requalificando o meio ambiente degradado por anos da ação predatória humana.

 

O projeto piloto prevê o reflorestamento de 110 mil metros quadrados onde, até pouco tempo, só existia lixo e poluição. “Estamos trabalhando pensando no futuro, como um modelo que vai demonstrar a importância da flora e do replantio dentro da cidade de Manaus”, destaca o subcoordenador Ambiental da UGPE, Otacílio dos Santos.

 

“Isso faz parte do processo para que o Prosamin+ cumpra os compromissos com as políticas socioambientais”, aponta a subcoordenadora Social da UGPE, Viviane Dutra.

 

Vida transformada

 

“É uma mudança extrema de vida. Desde o primeiro momento que o Prosamin+ entrou na comunidade, o que eu vi foi a chegada da cidadania. Ser atendida com uma moradia digna, com saneamento básico, com infraestrutura, mostra a todos o que é realmente garantir o direito básico do cidadão. O ser humano precisa de autoestima, de ser valorizado como gente. E isso realmente é que acontece aqui na nossa vida agora”, disse a artesã Emilene Mariano, que mora na comunidade há 23 anos. Ela foi uma das líderes do Grupo de Apoio Local (GAL) ouvidas pelas consultoras do BID

 

0 comentário

Comments


bottom of page