Klinger Araújo | A cultura Amazonense perde um dos seus grandes representantes

Cantor e apresentador estava internado desde o último dia 13 na UTI do Hospital Samel por complicações da Covid 19.


#nahora


Morreu no ínicio da tarde desta terça-feira (29), em Manaus, o cantor e compositor Klinger Araújo, um dos grandes divulgadores e representantes da Cultura Amazonense, o artista estava internado eu uma Unidade de Terapia Intensiva, no Hospital Samel em Manaus, após apresentar complicações da Covid 19.


Artistas e autoridades do Estado se manifestaram em pesar pela morte de Klinger Araújo.


Nota de Solidariedade GARANTIDO

A Associação Folclórica Boi-Bumbá Garantido presta total solidariedade a todos os amigos, familiares e fãs do grande artista parintinense e amazonense, Klinger Araújo. Um dos autores da obra prima do boi do povão, "Alma Rubra".


Klinger foi um trabalhador efetivo da arte de Parintins e durante décadas atuou para divulgar a nossa Cultura. É uma perda inestimável para todos nós!


A este ícone da cultura de Parintins, o nosso profundo agradecimento.



Fábio Cardoso

Presidente do Garantido


Nota de Pesar do Caprichoso

A Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso lamenta profundamente a morte do toadeiro Klinger Araújo, ocorrida nesta terça-feira (29/09), em Manaus, devido a complicações causadas pelo Coronavírus.


O presidente Jender Lobato e o vice Karu Carvalho, ainda impactados com a notícia, se irmanam, neste momento de dor e perda, com familiares e amigos. Ao mesmo tempo, decretam luto de 3 dias na Agremiação Cultural, em respeito à memória desse grande artista que muito contribuiu para a exaltação da toada e divulgação do Festival Folclórico de Parintins.


No dia em que lembramos nove meses da partida do Pop da Selva, Arlindo Júnior, o Furacão do Boi, Klinger Araújo, resolveu ao lado dele e de Emerson Maia, cantar as toadas azuladas no firmamento azul. Ficam nas nossas memórias os grandes momentos e o encontro desses amigos no teatro da vida, como a emocionante flauta de Klinger Araújo acompanhando a interpretação de Arlindo Júnior, no Teatro Amazonas.


A última apresentação de Klinger Araújo, em Parintins, pelo boi Caprichoso, foi durante o Carnaboi 2020, onde comandou a Nação Azul e Branca e ainda foi homenageado no Carnailha pelo bloco Fax Clube.


De alegria contagiante e de um humor extraordinário, Klinger saiu de Parintins para trabalhar em Manaus. Como radialista foi o pioneiro a tocar toadas de boi-bumbá nas emissoras da capital amazonense, evidenciando artistas e os bumbás de Parintins. Como artista, defendeu as duas cores e ainda representou o nosso folclore em programas de TV nacionalmente.


Hoje, Klinger, sua flauta se silencia. Seu bailado chora. Seu palco está vazio. E mesmo com as cortinas do palco da vida se fechando sem termos a oportunidade da despedida, o aplaudimos de pé! O Boi Caprichoso, sua diretoria e a Nação Azul e Branca se despendem com um MUITO OBRIGADO por tudo!



Nota Secretaria de Cultura do Amazonas - SEC

A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa manifesta profundo pesar pelo falecimento do artista amazonense Klínger Araújo. O cantor, que estava internado desde o último dia 13 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Samel, em Manaus, faleceu no início da tarde desta terça-feira (29/09), aos 51 anos, vítima de complicações renais causadas pelo novo coronavírus (Covid-19).


“Klinger era uma pessoa extraordinária, que sempre emanava coisas boas. Inspirador, alto astral. Deixa um legado cultural gigante, uma história relacionada à rádio, onde trabalhou durante muito tempo. Trabalhamos juntos em alguns programas de rádio, na Difusora, por exemplo. Um artista inigualável, versátil, irreverente e muito talentoso”, comentou o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.


Trajetória – A trajetória artística de Klinger Araújo começou em 1986, quando ele atuava como radialista em Parintins, município onde nasceu. Alguns anos depois, foi DJ e locutor dos noticiários da emissora local.


Klínger foi um dos artistas mais populares do Amazonas, sendo carinhosamente conhecido como “Furacão do Boi” graças ao trabalho dedicado aos bumbás Garantido, onde iniciou a carreira na década de 1990; e Caprichoso, onde firmou raízes folclóricas e atuou como cantor, instrumentista e backing vocal.


A última apresentação em Parintins, pelo Boi Caprichoso, foi durante o Carnaboi 2020, onde comandou a Nação Azul e Branca, e ainda foi homenageado no Carnailha.


Klínger Araújo foi um dos grandes responsáveis pela divulgação da cultura amazonense no Brasil e no exterior, tendo levado o ritmo do boi-bumbá para Las Vegas e Nova York, entre outras cidades. Em outubro de 2017, ele gravou o primeiro DVD, no palco do maior templo da cultura local, o Teatro Amazonas.


Klínger, que era casado com a também cantora Vanessa Alfaia, deixa quatro filhos e dois netos.



Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Na Hora Fatos Portal de Notícias - Editor-chefe: Érisson Araújo