top of page

Governo do Estado apoia reestruturação da cadeia produtiva da borracha no Amazonas

O incentivo à produção da borracha busca diversificar matriz econômica com geração de emprego e renda no interior do estado

 


O secretário de Estado de Produção Rural (Sepror), Petrucio Magalhães Júnior, junto à comitiva da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), liderada pelo titular da pasta, Pauderney Avelino, visitaram, na terça-feira (25/04), uma das instalações da fábrica de borracha natural do Grupo Rubberon, localizada na rodovia AM-070, quilômetro 8, em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus).

Na ocasião, os secretários reforçaram o compromisso do Governo do Amazonas de apoiar a reestruturação e estimular a retomada da cadeia produtiva da borracha nativa, extrativista, de forma sustentável.

 

Petrucio Magalhães Júnior afirma que o Governo vai apoiar as entidades, associações, empresas privadas interessadas em investir no setor produtivo, visando promover o aumento do preço da borracha e a ampliação da qualidade da borracha nativa do Amazonas. “O Governo vai garantir, junto com a iniciativa privada, um valor justo, que fará com que o extrativista tenha dignidade, e que ele possa sustentar sua família”, ressalta.

 

Entre os projetos apresentados pelo grupo Rubberon, está a reativação da usina de borracha natural, situada em Iranduba, para incentivar a retomada do ciclo da borracha, em parceria com o Governo do Amazonas. A finalidade é que a empresa possa produzir o primeiro “Pneu verde” em Manaus, por meio da extração da borracha natural, de forma sustentável, com a intenção de conservar a floresta.

 

“Com a chegada dessas indústrias pneumáticas de duas rodas, existe uma demanda e uma necessidade grande pela borracha natural. E com o apoio do Governo e da Prefeitura, vamos reativar esse ciclo, valorizando o produtor rural, mostrando que ele vai conseguir vender o látex e, principalmente, vai receber um valor justo pelo produto”, relata o presidente da Rubberon, Marcos Garcia.

 

Fábrica Michelin

 

No dia 17 de abril, a comitiva da Sepror e Sedecti, acompanhados pelo vice-governador do Amazonas, Tadeu de Souza, também puderam conhecer todo o processo na produção de pneus e projetos sustentáveis socioambientais da empresa Michelin, localizada na rodovia AM-010, quilômetro 22.

 

O secretário da Sedecti, Pauderney Avelino, destacou que somente nas fábricas de pneus de motocicletas e bicicletas, a demanda anual de produção de borracha gira em torno de 2,5 mil toneladas.

 

“Não tem como avançarmos sem a parceria privada. E de mãos dadas com o Governo do Estado podemos avançar, atrair seringueiros para voltar a produzir e, assim, desenvolver nosso interior, com atividades legais e uma alternativa viável de geração de renda”, explicou Pauderney Avelino.

 

Investimentos

 

Em 2020 e 2021, a Sepror entregou 600 kits seringueiros aos municípios de Lábrea, Manicoré, Canutama, Carauari e Itacoatiara. E em 2023, foram destinados mais 160 kits, para Lábrea, Humaitá, Boca do Acre e Pauini. Além de cerca de 500 mil pagos de subvenção aos seringueiros pela Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS).

 

Dentro das ações estruturantes do Plano Safra 23/24, serão investidos mais de R$ 800 mil em recursos, para aquisição de materiais e equipamentos necessários para a extração de látex.

 

0 comentário

Comentários


bottom of page