Fim de semana violento em Manacapuru, com o registro de dois homicídios na cidade

O primeiro caso ocorreu na Orla do Miriti, onde um homem foi executado à tiros, o outro caso, foi no Bairro de Terra Preta, onde um homem identificado com Deuzinho foi morto a pauladas e terçadada.


#nahora


Mais um fim de semana com mortes em Manacapuru, dois homicídios foram registrados pela Delegacia da cidade. O primeiro, trata-se de uma execução que ocorreu na madrugada de sábado (09), na Orla do Miriti. De acordo com Polícia Civil, a vítima identificada como a Robson Vasconcelos de Souza (29), foi morta após receber vários tiros.



Segundo informações de testemunhas, era por volta das 2h da manhã quando foi ouvido disparos, porém, o corpo da vítima só foi encontrado ao amanhecer, inclusive, com marcas de tiros na cabeça e nas costas, a posição em que o corpo foi encontrado, indica que a vítima foi atingida a traição e morreu logo após receber pelos disparos.


Segundo familiares, Robson tinha passagens pela polícia por envolvimento com o tráfico de drogas, e que também era usuário, e essa linha de investigação que está sendo seguida pela Polícia Civil, uma vez que Robson já havia sido preso por tráfico de drogas.


Publicidade


Segunda morte

Na noite de sábado (09), outra morte foi registrada em Manacapuru, dessa vez, a vítima identificada apenas como Deuzinho, foi morta a pauladas e terçadada no Bairro de Terra Preta. Segundo informações de testemunhas, Deuzinho caminhava pela Rua Manoel Vasconcelos Bastos, quando foi abordado por pelo menos três homens, que desferiram os golpes que vitimaram o homem, Deuzinho chegou a ser socorrido, mas morreu minutos após dá entrada no Hospital Lazaro Reis.


A Polícia Civil não conseguiu identificar ainda nenhum familiar de Deuzinho e pede ajuda da população que por ventura reconheçam o homem, que informe aos familiares, para que procurem a Delegacia de Manacapuru ou vá direto para o Instituto Medico Legal realizar o reconhecimento e liberação do corpo, já o homem seguiu para IML apenas com a identificação do apelido informado por pessoas que o conheciam de vista.


Segundo essas testemunhas, Deuzinho sempre ficava na zona portuária do Bairro de Terra Preta, e que o mesmo não tinha envolvimento com drogas. Moradores reclamam da falta de iluminação no local onde o crime ocorreu, segundo essas pessoas, por ser escuro, o local se transformou em ponto para prática de assaltos.


Publicidade



0 comentário