Criança recebe descarga elétrica ao encostar em poste de iluminação de quadra na Praça do Riachuelo

Tio do menino tentou ajudar, mas também pegou choque, por sorte, um médico que estava no local ajudou na reanimação a criança.


#nahora

Por Érisson Araújo - Redação Manacapuru/AM

O pequeno Matheus Gabriel, de apenas 10 anos, ainda possui no corpo as marcas do fim de tarde traumático do dia 09 de outubro. Ele estava na companhia do tio Marcos Alexandre (31), assistindo a um campeonato de futebol, quando Matheus se escorou em um poste de iluminação da quadra esportiva da quadra de esporte da Praça de Alimentação do Riachuelo, localizada no Centro de Manacapuru, quando recebeu uma descarga elétrica que o deixou desacordado, o tio do menino tentou ajuda-lo mas também recebeu a descarga elétrica.


“Eu fui me escorar no poste, quando ele me puxou e eu fiquei grudado aí eu não lembro mais de nada, quando eu acordei, tinha um monte de gente encima de mim”. Lembrou Matheus.

O tio do menino, relembrou os minutos de agonia. “Eu fiquei sem saber o que fazer, primeiro achei que fosse brincadeira, mas quando peguei nele, também recebi a descarga elétrica, a única solução que tive foi da uma rasteira nele para ver se ele se desgrudava” Disse.


Ainda segundo o Marcos, a sorte maior foi que no momento do ocorrido, um médico estava no local que ajudou a reanimar o sobrinho. “Graças à Deus que tinha um médico lá, pois se não fosse o Dr. Angelo eu não sabia o que teria acontecido, foi muito desespero, ele ali desacordado, fui muito agoniante”. Ressaltou

Tio e sobrinho foram encaminhados para o Hospital Lazaro Reis, onde foram atendidos, e ficaram em observação, segundo as vítimas eles ainda estão com sequelas “Eu estou com muitas dores no estomago, parece que está tudo queimado por dentro, meu rosto descapelou, minha vista tá meio ruim também, e não estou conseguindo me alimentar direito”. Disse


Já o menino, alega ainda sentir dores.


“Dói aqui na minha perna, no meu braço, e estou com uma moleza no meu corpo todo”. Falou.

Os dois foram encaminhados para especialistas, mas as consultas foram marcadas para o próximo mês, o que gerou preocupação da família.

“Já pensou isso, só para o próximo mês que eles vão ser examinados para ser a gravidade das sequelas desse choque, até lá corre o risco de piorarem, eu não aceito uma coisa dessa”. Desabafou dona Eliethe Marinho, mãe.

Continua após a publicidade



Nossa equipe procurou a Prefeitura de Manacapuru para verificar quais providências foram tomadas em relação ao problema elétrico que provocou esta situação e ainda sobre a demora na marcação dos exames das vítimas.


Leia nota da Prefeitura.

O problema no local já foi resolvido com o isolamento das fiações e troca de reator. A descarga elétrica se deu devido à instabilidade da energia na cidade, que acabou causando um curto e consequentemente vazamento de energia pela estrutura.

Quanto aos pacientes, o diretor da Policlínica, estará verificando a situação do agendamento com o especialista dos mesmos, para averiguar as condições e assim resolve-los.



0 comentário