top of page

Com apoio do Governo AM, projeto associa poderes de super-heróis ao ensino de química em escolas

Habilidades de personagens dos X-Men, da Marvel, foram usados em aulas de escola estadual em Codajás

 


Os poderes dos super-heróis da Marvel ilustram as aulas de Química do Centro de Educação de Tempo Integral (Ceti) José de Araújo, unidade da rede estadual de educação localizada em Codajás (a 240 quilômetros de Manaus). O projeto ensina conceitos químicos como intangibilidade, teletransporte e magnetismo a partir da associação com os poderes de personagens dos X-Men. A iniciativa é apoiada pelo Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

 

O estudo, apoiado pela Fapeam via Programa Ciência na Escola (PCE), Edital  nº 004/2022, é coordenado pelo professor de Química, Bernardo Jeová. Segundo o docente, os alunos do 1º ano do Ensino Médio, que participam do projeto, estão produzindo suas próprias Histórias em Quadrinhos (HQs), unindo super-heróis conhecidos do público com os temas explicados nas aulas da disciplina.

 

“O projeto busca apresentar conceitos químicos de forma diferente para os estudantes, aliando os superpoderes dos personagens de HQs a conteúdos presentes na matriz curricular da disciplina de Química. Entre os resultados, temos a valorização cultural, visto que uma das obrigatoriedades é utilizar o contexto regional como pano de fundo para criar as histórias dos seus super-heróis”, destacou.

 

Personagens

Entre os personagens utilizados no projeto estão a Lince Negra, mutante que, nos quadrinhos, detém o poder de intangibilidade (atravessar objetos sólidos). A partir disso, foi possível ensinar conceitos de matéria, partículas, forças de atração e repulsão para os alunos.

 

Outro personagem usado como ferramenta de ensino é o Noturno, conhecido pela capacidade de teletransporte. A habilidade do mutante serve para explicar aos estudantes sobre o paradoxo do teletransporte, abordando também questões filosóficas.

 

Ideia

Fã de super-heróis, Bernardo Jeová conta que a ideia de elaborar o projeto surgiu com a constatação de que os poderes desses personagens têm estreita relação com conceitos químicos aprendidos em sala de aula, além do fato desse tema também despertar o interesse dos alunos que acompanham o universo ficcional de super-heróis.


A partir disso, o pesquisador do PCE promoveu a união de duas áreas de interesse para dar andamento ao processo ensino-aprendizagem.

 

Ainda de acordo com o coordenador, o projeto, que conta com a participação total de 27 estudantes, é uma referência benéfica e positiva aos professores que buscam dinamizar suas aulas e despertar o interesse e a criatividade dos estudantes.

 

Andamento e apoio

Iniciado em julho de 2022, a previsão é que o projeto, batizado de “Química em Quadrinhos: utilizando Super-Heróis para abordar conceitos de Química”, seja finalizado ainda neste mês, com a realização de exposições das HQs no Centro de Ensino e também a divulgação dos conteúdos nas redes sociais.

 

O professor ressalta a importância da Fapeam e do PCE, que permite uma transformação educacional e social. “Ter o apoio da Fapeam é muito importante para incentivar a pesquisa no Ensino Médio, pois nos proporciona a chance de desenvolvermos nossos projetos, podendo mudar o cenário da nossa comunidade”, celebrou. 

 

Ciência na Escola

O PCE apoia a participação de professores e estudantes do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, da 1ª à 3ª série do Ensino Médio e suas modalidades: Educação de Jovens e Adultos, Educação Escolar Indígena, Atendimento Educacional Específico e Projeto Avançar, em projetos de pesquisa a serem desenvolvidos em escolas públicas estaduais sediadas no Amazonas e municipais de Manaus.

0 comentário

Comments


bottom of page