Amazonas ganha novos Defensores Públicos

Nova política da Defensoria do Estado visa a interiorização e a aproximação dos defensores para os municípios mais distantes.



#nahora


Na manhã desta segunda-feira (18/11), 10 novos defensores públicos aprovados no último concurso, para ocuparem polos da DPE-AM no interior do estado, tomaram posse. O concurso teve um total de 58 classificados, 27 defensores já foram nomeados.



Os 10 empossados foram Gabriel Herzog Kehde, Carine Teresa Lopes de Souza Possidônio, Thaís Maria Marra Correa, Lucas Fernandes Matos, Elânia Cristina Fonseca do Nascimento, Luiz Gustavo do Nascimento Cardoso, Enale de Castro Coutinho, Jessica Cristina Melo de Matos, Rodrigo Santos Valle e Marilia Oliveira Martins.


“Isso significa um aumento na defesa dos direitos fundamentais do cidadão, sobretudo daquele que está no interior. E aí o servidor público no início de carreira vai para o interior, que lá é onde está a maior parcela que está muito desassistida. A gente fica muito feliz, na certeza de ter ampliado esse acesso à justiça e direitos essenciais a mais pessoas”, avaliou o governador Wilson Lima.

“O interior ganha cidadania, assistência jurídica integral e gratuita, mas, além disso, ele ganha um olhar humano. Somos 10 defensores muito comprometidos com nosso trabalho, com um olhar ao povo amazonense e todas as demandas que surgem durante um atendimento. É uma honra e um prazer assumir esse cargo, é efetivamente um sonho de vida, não apenas uma carreira”, comemorou Elânia do Nascimento, uma das empossadas.




Interiorização

O defensor público geral do estado, Rafael Barbosa, destaca que um dos principais pontos desta gestão é o processo de interiorização da Defensoria Pública. Só em 2019, três polos da DPE-AM foram inaugurados no interior e mais uma unidade está prevista para entrar em funcionamento em dezembro, no Alto Solimões, atendendo a população dos municípios de Tabatinga, Amaturá, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tonantins.


“Ver a DPE chegar, efetivamente, a esses municípios, com a estrutura verdadeira, com servidores do próprio município concursados, é o que nos deixa mais confiantes de que a DPE vai chegar no interior e vai poder, quem sabe um dia, prestar um serviço na envergadura que hoje faz o Ministério Público no interior, e assim também o Judiciário. E é claro que nada disso seria possível se não fosse a confiança recebida, em primeiro lugar, do poder Executivo”, frisou Rafael Barbosa.

“O que nós temos, nesse presente momento, é uma situação ímpar. Nós temos um Executivo que quer ser parceiro da instituição e que tem trabalhado, com todas as instituições, na realização de direitos fundamentais, seja através de situações específicas ou mais amplas. Existem dificuldades, mas não temos nenhum problema em encará-las de frente e fazer um caminhar crescente, no momento que nós queremos fazer a redução das desigualdades”, enfatizou o vice-governador e também defensor público, Carlos Almeida Filho.


FOTOS: Michaell Mello e Diego Peres / Secom



Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Na Hora Fatos Portal de Notícias - Editor-chefe: Érisson Araújo